top of page
Buscar
  • Foto do escritorRicardo Zanon

ENTREVISTA: Vanessa Batistello e a vida da bailarina de Ballet Clássico




Disciplina e determinação: estes são fatores fundamentais para quem deseja se tornar um bailarino profissional. Ser muito esforçado sempre ajuda a alcançar grandes objetivos e no ballet isso não é diferente. Com porte altivo, Vanessa Batistello revela nesta entrevista como foi o início da carreira no Oeste catarinense, na cidade de Chapecó (SC) e sua passagem no renomado Ballet Bolshoi, em Joinville (SC).  Ao completar 40 anos, a bailarina faz ainda uma análise sobre o etarismo na profissão e também revela seu novo projeto de ensina o Ballet Clássico para crianças e adultos em Itapema (SC).  A bela, como empreendedora, tem a missão de fomentar e fortalecer a dança na região, inspirando as novas gerações de bailarinos. Afinal,  como  diz a música de Toquinho:  ‘Toda bailarina pela vida vai levar sua doce sina de dançar, dançar, dançar’.

 



BLOG DO ZANON - Como começou seu interesse pela dança?


VANESSA:   Eu sou o sonho realizado da minha mãe. Ela sonhava em ser bailarina e não conseguiu concretizar. Matriculou-me no Ballet aos seis anos e me apaixonei.  Nunca mais parei e sou professora da arte há 26 anos!



BLOG DO ZANON - Quais cursos frequentou durante a carreira na dança?


VANESSA: Sou formada em Ballet Clássico, tenho graduação em Educação Física, pós-graduação em Dança e Mestrado em Motricidade Humana.  Aos 16 anos passei no teste do Ballet Bolshoi no Brasil, onde fui aluna da escola em Joinville. Cursos de aperfeiçoamento passam de cem ao longo da carreira. Participei de muitos festivais enquanto aluna e fui proprietária de escola. A vida na dança é de palco em palco.

 



BLOG DO ZANON – Atualmente você está trabalhando como professora e mentora de dança em Itapema (SC) que também pode ser realizada de forma remota (online). As aulas são direcionadas para todas as idades?


VANESSA: O Ballet Clássico é uma arte milenar, que possui uma técnica específica.  Esta técnica é tão específica que o curso completo em Ballet tem nove anos de duração. A criança inicia com sete anos de idade e finaliza com aproximadamente 16 anos.  O tempo demasiadamente longo explica-se por ser uma técnica muito bem definida, com pré-requisitos muito específicos, entre um passo e outro.




 

BLOG DO ZANON – Como são as aulas voltadas para os bebês?

 

VANESSA: É uma aula completa de Baby Class, seguindo um formato inteligente e neurologicamente correto para os primeiros anos.  O principal: Não tem iniciação a passos técnicos de Ballet Clássico nenhum, bem pelo contrário. Entendemos que os passos técnicos ensinados como "iniciação" são muito prejudiciais ao processo evolutivo. O Baby Class é o primeiro passo para a criança que deseja dançar, pois são nestas aulas que o Ballet Clássico será apresentado aos pequenos. Neste primeiro momento em contato com o Ballet, as crianças descobrem a dança de uma maneira lúdica e afetiva.




 

BLOG DO ZANON – E a partir dos sete anos a criança é iniciada?

 

VANESSA: A partir dos sete anos a criança inicia uma fase muito importante, quando deve ser iniciado o processo de atividades de formação técnica. O Ballet Clássico forma bailarinos com uma destreza absurda (e benefícios únicos). Porém, se o processo não for iniciado corretamente nesta idade, o tempo passa. Portanto é muito importante procurar Ballet Clássico de formação, e não mais "ballet brincadeira" nesta idade. 




 

BLOG DO ZANON – Você também ensina o Ballet para adultos iniciantes?


VANESSA: Sim! O Ballet Clássico pode ajudar muito o corpo de uma pessoa adulta, mesmo que nunca tenha feito a atividade antes. Os benefícios são muitos como: espaçamento de vértebras para evitar dores lombares, fortalecimento de paravertebrais, entre outros. O preconceito dos adultos antes de iniciar no Ballet é muito grande. Porém, ao iniciar uma aula em que a pessoa se sente respeitada, eles começam a visualizar melhoras importantes em seu corpo. O processo é lindo demais! Meu objetivo é somente um e sempre será: fazer o Ballet Clássico de verdade acontecer. Percebendo transformações reais e palpáveis, faço o que for preciso pra isso! Não aceito entrar na vida de um aluno e não causar, no mínimo, uma transformação positiva.





BLOG DO ZANON - Qual sua opinião sobre o etarismo na dança?


VANESSA: No Ballet existe tanto etarismo na questão de gênero, quanto preconceito em relação à sensibilidade que o Ballet passa.  Explico: se feito com qualidade, ao dançar a bailarina vai parecer imensamente leve, com linhas suaves, sutileza e perfeição de movimentos.  Isso leva as pessoas a pensarem que é fácil, que é bobo, e "zombam" mesmo. Enquanto o Ballet é muito complexo, difícil e respeitador com o corpo e a alma.

 



BLOG DO ZANON – Você completou 40 anos recentemente. Como a Vanessa avalia a passagem do tempo nestas quatro décadas?


VANESSA: Ainda me sinto uma moleca. Sigo sem nunca ter feito um bolo. Estou em transição de vida e carreira e tenho a sensação de não ter conseguido fazer nada da vida ainda.  Sabe o que me deixa muito feliz nesta "retrospectiva"?  - Por onde eu passei sempre dei o meu melhor e só fiz amizades lindas. Tive respeito por todos e me senti amada e respeitada também.  Agradeço e aceito todas as dificuldades e honro minha história.  Obrigada pelas pessoas lindas que cruzaram minha vida até hoje! Obrigada Deus por me dar a família e amigos que tenho. Como sou abençoada nestes 40 anos!


Contatos:

 

Ficou interessado em aprender Ballet Clássico? Entre em contato com a Vanessa:


 

Telefone: (47) 99786 - 3495

 

 

 

Comments


bottom of page